Blocos temáticos

By Anônimo - 10:15

Samba no pé, rock, jazz e outros ritmos na cabeça


Requebrar ao som dos Beatles, evoluir no compasso de Roberto Carlos, levantar os dedinhos no ritmo de Raul Seixas, sambar no pé com a poesia de Chico Buarque. Já foi o tempo em que bloco de carnaval era sinônimo de samba e marchinhas. Há alguns carnavais, os chamados blocos temáticos atraem quem gosta da folia, mas prefere brincar embalado por músicas do seu artista preferido ou de nomes consagrados fora das hostes carnavalescas. A BarraMusic dá nota 10 para a diversidade.
O Mulheres de Chico, a princípio integrado somente por admiradoras de Chico Buarque, se intitula o pioneiro entre as agremiações temáticas e já abre o seu desfile para todos que queiram ouvir “Construção”, “Cálice”, “As Vitrines” e outros clássicos repaginados.
Improviso, ritmo e harmonia, características esperadas em qualquer bloco, não faltam ao Afrojazz, que faz apresentações em parceria com o Rio Maracatu. No repertório, canções de Hermeto Pascoal e Moacir Santos ganham releituras com misturas de jazz e batucadas. Vale conferir.

All you need is bloco

Com multidões conquistadas em São Paulo, Vitória e Belo Horizonte, o Sargento Pimenta não esquece as suas origens e continua desfilando e agradando em cheio no Rio, onde costuma se apresentar no Aterro do Flamengo. Em janeiro, o bloco fez um show no Rio Scenarium, na Lapa, com casa cheia, o que promete se repetir em todos os seus desfiles. O repertório é uma consagrada mistura dos maiores hits dos Beatles com bateria de escola de samba, o que garante animação por diversas horas.

Sem o gigantismo do grupo que homenageia o quarteto de Liverpool, o Não Deixe o Rock Morrer vem crescendo e tem tudo para repetir o sucesso dos últimos anos graças à fórmula de tocar os maiores clássicos do rock em ritmo de samba. Seu desfile arrastou mais de 10 mil pessoas na segunda de carnaval, em Botafogo.

New Kids on the Bloco, Toca Raul! e Terreirada Cearense são outros blocos que inovam no repertório, mas mantêm a tradição de arrastar multidões pelas ruas do Rio. Quem ganha são os foliões. Evoé, Momo!

  • Compartilhe:

Você pode curtir também

0 comentários