MAPLE

By Gustavo Sá Fortes - 12:23


 


Também conhecida como Bordô, o Maple é a madeira mais utilizada na construção de instrumentos musicais pela sua versatilidade.

Existem basicamente dois tipos de Maple: Hard maple & Soft Maple, ou seja, é possível encontrar tanto Maples rígidos quanto Maples mais macios, o que faz com que esta madeira possa ser usada em diferentes partes na construção de um instrumento musical.

Na construção de braços o Maple é de longe a melhor Madeira no que diz respeito à rigidez, densidade e propagação do som e para este fim normalmente se usa o Hard maple. Em geral, tanto o Hard Maple quanto o Soft maple são madeiras que tem um bom sustain e uma maior atuação nas frequências agudas.

Quando usado na construção de corpos de guitarra, o Maple em todas as suas variações tem um timbre mais concentrado na região dos médio-agudos para os agudos, bastante ataque e bastante brilho. Quando usado na construção de braços o Maple em geral, se concentra na região dos médios e médio-agudos com um brilho e ataque medianos. Ao ser usado na construção de escalas o Maple em geral se destaca mais nas regiões médio - aguda e aguda com bastante ataque e brilho. Outro detalhe das escalas de Maple é que tem um tato bem diferente das escalas de rosewood, ao pegar uma é possível sentir a diferença uma vez que ela parece um pouco mais “escorregadia” e alguns músicos acham bastante confortável de se tocar.

Um uso muito comum do Maple é como tampo em guitarras de corpo sólido como as Gibson Standards e as PRS. O uso do maple ajuda a dar um brilho maior em guitarras que tem o corpo construído em madeiras que trabalham em frequências mais graves como o Mogno.

Nas fotos abaixo veja o exemplo de alguns dos diferentes usos do Maple em guitarras:

  
Guitarras Fender Std. Tele e Strato com o braço e escala em maple.             

Nas fotos abaixo vemos exemplos do Maple sendo usado no tampo de guitarras Les Paul; as fotos foram feitas pessoalmente pelo Prof. Beto Laureano durante a Gibson Tour (visita à fábrica e instalações da Gibson nos Estados Unidos realizada pela Royal Music no ano de 2010 onde foi possível conhecer e presenciar todo o processo de fabricação de uma das guitarras mais famosas do mundo)

Reparem na diferença da cor entre o tampo em maple e o corpo em Mogno

Corpo de Les Paul com o tampo em maple sendo cortado

O Maple pode ser também utilizado em fundo ou laterais de guitarras Semi-acústicas e de violões, mas em violões não é usado com tanta frequência como jacarandá ou mogno. Um exemplo é a guitarra Ibanez AS 73 que tem o tampo, os fundos e as laterais em Maple.

Ibanez AS 73 com o corpo todo em maple

Outra característica é que o maple é uma madeira que está sujeita a diversas anomalias que geram figurações interessantes e bem bonitas para serem utilizadas na construção de instrumentos. Estas anomalias não são uma espécie diferente de madeira, todas pertencem à mesma espécie botânica e as figuras são criadas e desenvolvidas por conta de um determinado estado físico da madeira e de diversas variáveis da natureza. Isto é um dos fatores que faz com que as madeiras anômalas possuam um alto custo pois são difíceis de se encontrar na natureza.

Um outro detalhe bem interessante que envolve o mercado de instrumentos musicais é que os madeireiros descobriram o filão das “Tonewoods” ou seja, madeiras usadas em instrumentos musicais então quando estão diante de uma peça de madeira com um visual diferenciado eles nem pensam duas vezes em oferecer para as fábricas de instrumentos, e por conta da demanda que existe de diversas fábricas é muito difícil para um fabricante negociar o valor desta matéria-prima, uma vez que se a empresa não aceitar o valor pedido pelo fornecedor este vai imediatamente procurar outra empresa que pague o valor pedido. E com uma demanda cada vez maior por guitarras que tenham um grande visual a tendência e esta relação de mercado que já existe é quase certo afirmar que o preço destas matérias-primas tende a subir cada vez mais.


VARIAÇÕES DO MAPLE


CURLY MAPLE



O curly são contorções que ocorrem quando a madeira é comprimida durante o seu ciclo de vida. Às vezes o próprio peso da árvore sobre a base faz pressão sobre o caule e pode ocasionar o curly, ou então, uma mudança da direção de crescimento ocasionada por um fator externo. Esta anomalia é bastante comum no maple e às vezes também é chamada de “Tiger maple”.  Este efeito é comumente confundido como sendo parte dos veios da madeira, na verdade ela é mais precisamente classificada como “figurada” quando a distorção é perpendicular à direção do veio da madeira. 

Exemplo de guitarra com tampo veener em Curly Maple:

ESP M2 Custom Shop com tampo em Curly Maple


FLAMED MAPLE



Flamed maple é um nome diferente que se usa para o “curly maple”. Apesar de ser um nome basicamente comercial o flamed maple se configura num tipo específico de figuração ocasionada por compressão que faz com que a linhas tenham uma curvatura leve que lembram chamas, por isso o nome “flames”

Tampos em Flamed maple antes de serem cortados

Exemplos de guitarra com tampo em Flamed Maple:

Guitarra Cort CR 250 TBK com veener em flamed maple

Guitarra PRS Custom 24 25th anniversary com tampo em flamed maple

Um detalhe interessante de como o flamed maple passou a ser mais valorizado com o tempo é que na década de 90 as Gibsons Standards todas tinham pintura lisa (Plain top) e hoje em dia são todas Plus top (com veener em flamed maple)

Gibson Slash Appettite For Destruction

QUILTED MAPLE



O Quilted é uma anomalia que pode ser encontrada em diferentes tipos de Madeira. Ela ocorre quando existe algum fator que gera problemas no crescimento da árvore como, por exemplo, a falta de espaço para que a árvore se desenvolva plenamente.


Exemplo de guitarra com o tampo em Quilted Maple (veener):


Guitarra Ibanez Premium RG 870



Cort Z Custom com tampo em Quilted Maple

SPALTED MAPLE


O Spalted é uma anomalia que também pode ser encontrada em outras madeiras, mas é muito mais comum no Maple que é uma madeira muito rica em açúcar; este açúcar atrai fungos que se alimentam da madeira e que liberam pigmentos durante o processo de digestão formando as listras pretas do Spalted. O Spalted Maple não é consistente o suficiente para se construir braços ou corpos e é mais usada em tampos e veeners. Outra característica interessante é que as melhores madeiras Spalted para se fazer instrumentos musicais são aquelas que são atacadas pelos fungos enquanto ainda estão vivas, ou seja, quando a árvore ainda está de pé. Se a árvore já tiver sido cortada e for atacada por estes fungos depois a qualidade da madeira não vai ser tão boa. Este é mais um fator que torna o Spalted Maple uma madeira mais difícil de encontrar na construção de instrumentos.

Exemplo de um baixo com acabamento Veener em Spalted Maple:

Baixo Cort GB 5 Custom

Nas fotos abaixo vemos um protótipo da guitarra Condor CLP Les Paul com o tampo em Spalted maple onde é possível ver com bastante clareza as linhas deixadas pelos fungos na madeira.




BIRD’S EYE MAPLE


Uma condição da Madeira que é causada pela ação de pássaros e insetos e que resulta em uma figura decorativa composta de pequenos círculos ou pontos. Bird’s eye maple não é uma espécie, mas também não é um defeito da madeira. As figurações de bird’s eye ocorrem mais comumente nos hard maples que crescem no leste dos Estados Unidos, mas também podem ocorrer em outros tipos de madeira.

Exemplo de um baixo com braço em Bird’s Eye maple:

Braço do baixo Cort GBMP Master Piece

  • Compartilhe:

Você pode curtir também

3 comentários

  1. Essa madeira seria a mais indicada para se fazer variações entre um som cleam e um sujo?

    ResponderExcluir
  2. Gostei bastante da matéria. Tenho uma washburn hb 35-s...segundo informaçoes do numero de serie trata-se de uma guitarra de 1995. O corpo é todo em maple pelo que entendi e o top dela é flame maple. Qual seria o tipo de captador ideal p esse tipo de guitarra para se obter frequencias mais medio graves?

    ResponderExcluir
  3. Quais as diferenças de tampos AA, AAA e AAAA?

    ResponderExcluir