SISTEMA DE ALÍVIO DE PESO NAS LES PAULS

By Gustavo Sá Fortes - 08:59






A matéria abaixo foi publicada no site oficial da Gibson onde o luthier mestre da empresa Jim Decola explica os tipos e as diferenças dos sistemas de alívio de peso encontrados nas Les Pauls.







Houve um tempo em que ter uma Les Paul de 5,5Kg ou quase 6Kg era a marca da hombridade. Guitarristas falam há muito tempo a respeito do sustain do instrumento e se há uma relação direta com o peso, e o quanto é necessário todo aquele peso e massa para se conseguir o timbre desejável. A verdade é que nem todos acreditam que "pesado" é igual a "melhor" em termos sonoros, e nem todos os músicos querem ficar com uma guitarra de 6Kg sobre seus ombros durante uma performance de 90 minutos. Qual, então a solução? Para a Gibson, a solução foi encontrada em um sistema desenvolvido cuidadosa e estrategicamente de alívio de peso das guitarras, e o procedimento trouxe muitos benefícios aos guitarristas.

"No fundo do meu coração, eu realmente acho que o alívio de peso é a coisa certa a se fazer", diz o Luthier Mestre da Gibson Jim DeCola. "É uma coisa boa. Isso nos custa um tempo extra e mais esforço, então não há economia de nada. É mais caro para nós, mas nos sentimos bem de fazê-lo"

DeCola explica que a Gibson, atualmente, utiliza 3 diferentes tipos de sistema de redução de peso  e ajuste de resposta de ressonância do corpo da guitarra. O padrão mais antigo desses três é mencionado como "alívio de peso tradicional", como usado nas Les Paul Traditional. Esse processo utiliza nove furos circulares no corpo de mogno, antes da colagem do tampo de Maple. Os furos são estrategicamente colocados no bojo inferior, no lado grave do corpo. O resultado,DeCola explica, "é uma guitarra que é mais leve que um modelo sem esse sistema, mas que continua com peso ainda bacana e sensação de robustez".




Indo a outro extremo, a Gibson também utiliza o padrão "full chamber" em alguns modelos, como as 2008 Les Paul Standard. Conseguida através de grandes câmaras ovais, em ambos os lados da parte central, onde a ponte e o captador são montados. Com isso, a Gibson chegou no modelo mais leve até então. "Essa é a técnica mais dramática", diz DeCola, "e resulta em uma guitarra que possui mais ressonância acústica"



O terceiro processo, e mais atual, envolve o que DeCola chama de "modern weight relief", como utilizado nas 2012 Les Paul Standard, e que é o caminho do meio, entre os dois processos apresentados acima. "Alguns guitarristas usam guitarras de corpo full chamber em altos volumes e altos níveis de ganho, e acham que elas soa um pouco ressonantes demais, as vezes com um pouco de feedback, como resultado disso." Para se conseguir um efeito de alívio de peso desejado, mantendo ainda uma boa quantidade de freqüências da madeira ao redor dos captadores e da ponte, a Gibson colocou múltiplos furos elípticos dentro do corpo de mogno.



Essa nova técnica moderna de alívio de peso resulta em uma Les Paul que, no geral continua igual, mas com peso entre o alívio tradicional e o corpo em câmaras.
Mas como essas técnicas afetam o timbre da guitarra?


"Tanto a técnica tradicional quanto a moderna são bem difíceis de se distinguir." Diz DeCola. "Se você tocar em um monte de Les Pauls com alívio de peso - de qualquer uma das duas técnicas - e um outro monte de Les pauls sem o sistema de alívio de peso, você perceberá pequenas variações de timbre, mesmo entre dois modelos do mesmo tipo de construção, mas com diferenças muito sutis, quase imperceptíveis, entre os modelos com ou sem alívio de peso" Diz DeCola, "o alívio de peso otimiza a ressonância, o que ao meu ver é ainda melhorado com o sustain".



  • Compartilhe:

Você pode curtir também

6 comentários

  1. Olá, muito bacana e educativa sua postagem ! Interessante esses sistemas... mas eu acredito e sinto que há uma certa diferença de timbre entre os tipos de redução sim. Veja meu blog www.lespaulbr.com. Porei um link seu ! Se puder fazer o mesmo...

    ResponderExcluir
  2. Frescura essa coisa de alivio de peso! Antes de tocar guitarra e violão, eu tocava um acordeon de 11 kilos por ate 3 horas nos bailes e nunca reclamei...

    ResponderExcluir
  3. Olá Les Paul, bacana o seu blog amigo, obrigado por passar por aqui, como dissemos lá em cima este texto foi traduzido da forma mais fiel possível ao texto original publicado no site da gibson. As opiniões apresentadas são as opiniões do entrevistado no caso o luthier chefe da Gibson Jim Decolla, mas é claro que isso está aberto a interpretações e opiniões pessoais...mais uma vez obrigado pelo comentário

    ResponderExcluir
  4. Oi Edmar, bom essa questão é de cada um, a Gibson como empresa sentiu a necessidade de realizar o alívio de peso pois essa era a principal reclamação dos usuários de Les Paul. Foi feito um estudo muito detalhado para conseguir criar sistemas que pudessem aliviar o peso sem comprometer o timbre...muito obrigado pelo comentário

    ResponderExcluir
  5. kkkkkkkkkkkk Ta certo Edmar,,, disse tudo. Isso é coisa de EMO com dorzinha nas costa e tudo mais. Rock" tem que ter 'pegada' e não frescurisse..bem falado Edmar.

    ResponderExcluir
  6. Não adianta, Gibson perde muito em timbre com o alívio de peso, agora gostaria de saber como funciona a construção das PRS que são leves com um timbre impressionante

    ResponderExcluir