SOBRE MADEIRAS EM INSTRUMENTOS MUSICAIS

By Gustavo Sá Fortes - 18:24


CLIQUE NO NOME PARA IR DIRETAMENTE AO POST DA MADEIRA


MOGNO  MAPLE  ALDER   ASH  ÉBANO  CEDRO  

JACARANDÁ OU ROSEWOOD    BASSWOOD  AGATHIS  SPRUCE   NATO   BUBINGA   KOA   KORINA   PURPLEHEART   WALNUT  WENGE


Muito se fala sobre madeiras usadas para construção de instrumentos musicais, muitas informações erradas, muitas "lendas urbanas" e muito folclore são achados facilmente na "rede". Para diminuir as dúvidas e melhor orientar os compradores, clientes e amigos da BarraMusic resolvi criar essa extensa série de tópicos com fotos e informações úteis para que possamos entender melhor esse universo sensacional que são as madeiras.

Nosso amigo Gustavo Sá Fortes, junto comigo (Beto Laureano) realizou intensa e qualificada pesquisa em nosso acervo de livros e na própria Web, sendo que uma parte muito importante desta pesquisa foram as visitas que fiz pessoalmente nas fábricas da Gibson, Fender e PRS entre os anos de 2010 e 2012 sempre buscando conhecer mais e compartilhar esta informação.


 Prof. Beto na fábrica da Gibson 2010

Prof. Beto na fábrica da Fender em 2011

Felipe Arman e Prof. Beto na fábrica da PRS 2012


De alguns anos para cá as madeiras tem se tornado a commodity que mais se valoriza por questões ambientais e segundo relato de Eddie Wilson , historic manager da Gibson USA, os madeireiros descobriram nosso "filão" e sabem valorizar as belas madeiras, e normalmente não existe negociação, o que o madeireiro pedir tem que ser pago, caso contrário, ele vende para outra empresa facilmente.

Tenho que deixar registrado também minha paixão pelas belas madeiras o que é um dos motivos que me deixam apaixonado por guitarras, desfrutem do  nosso trabalho e compartilhem com seus amigos.


INTRODUÇÃO

Quando se fala em madeiras usadas para construção de instrumentos normalmente existem muitas dúvidas que se formam nas cabeças dos instrumentistas do tipo, qual é melhor? Por que é melhor? Qual é a diferença de uma para outra? A grande questão é que muitas destas perguntas não têm uma resposta objetiva. Quando se trata de madeiras, tudo depende e tudo é relativo.

A física nos ajuda a entender um pouco esta relatividade dizendo que tudo o que tem massa tem uma freqüência de ressonância, ou seja, todo objeto vibra e reage as ondas sonoras numa determinada freqüência. Com as madeiras não é diferente, elas vibram e reagem ao som em uma determinada freqüência, cada uma do seu jeito. Pensando assim, descobrimos que em termos de som, não existe uma que seja melhor ou pior, são apenas diferentes. Tudo depende do que você quer fazer.

Diversos outros fatores influenciam para que uma madeira seja mais ou menos usada na construção de instrumentos, um destes fatores é se é uma madeira abundante que seja fácil de ser encontrada na região ou precisa ser importada, por exemplo, um luthier no Brasil precisa importar Maple se quiser usá-lo em um instrumento; a região onde a árvore cresce exerce também influencia na qualidade da madeira e até mesmo a forma como os troncos são cortados geram influência também, cortes mais simples e feitos de forma brusca e pouco refinada vão fazer com que a madeira (mesmo que seja nobre) tenha um valor de mercado menor do que se tivesse sido cortada apropriadamente.

Os fatores como se a madeira é fácil ou difícil de trabalhar em termos de marcenaria, se ela é forte ou resistente o bastante para agüentar a pressão das cordas em um braço ou é estável o suficiente para se transformar num corpo de guitarra, baixo ou violão também são considerados.

Diante disto passamos a entender melhor porque algumas madeiras são mais caras e por conseqüência os instrumentos feitos com elas também. Isso se deve porque algumas madeiras são mais raras, por conta disso mais caras de se obter em estado puro, o processo de marcenaria é mais delicado, exige profissionais mais competentes, máquinas melhores, mais tempo de produção e etc., além do que, existem madeiras como mogno e maple que já são usadas há tanto tempo na construção de instrumentos que sua eficiência é comprovada, ou seja, a gente sabe que funciona e por isso são largamente usadas e cada vez mais procuradas, com uma alta demanda por um material o valor também sobe.

Em geral, as madeiras utilizadas para se fazer um instrumento musical se dividem basicamente em dois tipos: Hardwood (madeira dura) e Softwood (Madeira macia). De forma bem genérica, madeiras macias tendem a absorver o som enquanto as madeiras duras fazem um trabalho melhor em refletir o som trazendo mais projeção sonora para o instrumento.

Isto não significa que as madeiras macias não são utilizadas, muito pelo contrário. As madeiras macias são muito mais simples de serem cortadas, trabalhadas e esculpidas o que facilita bastante o trabalho dos luthiers além do que, dependendo do resultado de timbre que se busca alcançar a utilização de uma madeira macia pode cair como uma luva dentro do conceito do instrumento.

Outro fator importante é que por serem mais simples de se trabalhar as madeiras macias em geral, são utilizadas para baratear os instrumentos, pois geram um menor custo de produção.
Em termos de timbre, falando de forma genérica, madeiras mais macias e menos densas produzem mais volume, menos ataque e menos sustain enquanto madeiras mais pesadas e mais densas produzem mais sustain, um ataque mais potente mas com menos volume. Lembrando que quando se fala em madeiras toda generalização é imprecisa, cada madeira tem o seu diferencial.

As madeiras de acordo com suas características gerais de densidade, rigidez e timbre podem ser mais apropriadas para a construção de diferentes partes do instrumento, como o braço, o corpo, a escala e etc. E algumas madeiras as vezes funcionam muito bem para se construir violões e não tão bem para guitarras de corpo sólido ou o contrário.

  • Compartilhe:

Você pode curtir também

11 comentários

  1. Olá Prof.Beto.

    Gostaria de sua autorização para utilizar esta matéria em um site.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. LeviMuinz
    Por Favor entre em contato conosco por e-mail ! Obrigado

    ResponderExcluir
  4. MUITO SHOW ..
    MAIS ESSA SX EM ASH É MINHA PODE GUARDANDO ELA !
    COMPREII DE TUDO AII MENOS UMA GUITARRA E VAI SER ELA.
    ABRAÇOS ;;

    ResponderExcluir
  5. Gostaria de saber se saíram mais edições dessa coluna! Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Oi Bruno, desculpe pela demora quase infinita para responder, o blog passou por um período de inatividade mas agora vamos retomar o trabalho e com certeza mais alguns artigos sobre madeiras vão aparecer. Um abraço

    ResponderExcluir
  7. achei seu site no google pesquisando sobre les pauls, muito boa as suas matérias tá de parabéns até ja favoritei o site, abraço.

    ResponderExcluir
  8. Olá Gabriel, Obrigado pelos elogios !! Curta o blog tem muita coisa bacana !! Abraços

    ResponderExcluir
  9. Olá, eu estava pesquisando sobre guitarras e me deparei com a guitarra elétrica Dean Vendetta XM, da marca Dean. Só que ela é feita de uma madeira chamada Paulownia. Mas eu já me procurei bastante sobre ela e não encontrei absolutamente nada. Então gostaria que vocês me ajudassem a saber mais dessa madeira.

    ResponderExcluir